CONHEÇA NOSSO BLOG
04Out
mulher sentada na porta da varanda com seu cachorro

Maneiras de gerir a guarda compartilhada do cão

Compartilhe!

Quem tem animalzinho de estimação assume um compromisso importante com a criação do amiguinho. Quando casais adotam um cão, por exemplo, e infelizmente se separam com o tempo, é preciso administrar a nova vida do animalzinho. Afinal, agora ele precisará lidar com dois ambientes e rotinas diferentes, que é o que representa a guarda compartilhada do cão. A ideia segue a mesma do que acontece com o filho: passar um tempo para manter a relação e afeto com os pais. A seguir, veja como funciona, por lei, esse momento.

Guarda compartilhada do cão: como funciona?

mulher fazendo carinho em seu cachorro com a cabeça encostada na dele

Quando um animalzinho é adotado durante o relacionamento, é comum que com o fim a guarda compartilha do cão seja requerida. Longe de ser um jogo de interesses, essa prática deve visar a saúde física e mental do amiguinho. Afinal, quaisquer estresses no cotidiano podem causar malefícios e não isso que você quer, certo? Eu, que tenho na família um amiguinho tão especial quanto o Bob, entendo a importância de pensar neles. Saiba, a seguir, como a guarda funciona por lei.

O que diz a lei

Em 2018, foi estabelecido um projeto de lei que disserta sobre a guarda compartilhada do cão. Essa guarda torna-se obrigatória quando o casal, após a separação, não toma uma decisão em comum acordo. A Vara de Família, hoje, mesmo não tendo a lei totalmente regulamentada, pode auxiliar o acordo. O juiz define o tempo em que o cão pode passar com cada um dos pais mediante a disponibilidade de ambos. Além da companhia, a divisão tão cobre as despesas.

Despesas

A guarda compartilhada do cão não incide apenas em receber o animalzinho de estimação e dedicar um tempo a ele. Claro, amor e carinho são sempre necessários, porém, existe uma demanda de higiene e também lazer que precisam que o orçamento seja dividido. Dessa forma, manter a qualidade de vida do amiguinho não fica pesada para nenhum lado.

Cuidados essenciais

  • Defina uma periodicidade saudável de visitas ao veterinário e quem ficará responsável de levar;
  • não confunda a rotina do cão, isso pode gerar um conjunto de problemas. Combine em conjunto quais atividades mais se encaixam às possibilidades do amiguinho;
  • é essencial que os acessórios do PET permaneçam os mesmos, independentemente do ambiente. Isso transmite mais conforto;
  • garanta a melhor alimentação para o cão. Confira o cardápio de alimentação natural para cães e gatos aprovadas pelo Chef Bob. Além disso, faça sua assinatura de comida natural para cães e gatos.

O que pode ser identificado no cão durante essa fase?

mulher assistindo o por do sol com seu cachorro após guarda compartilhada do cão

A guarda compartilhada do cão precisa ser realizada com muito cuidado, pois atinge diretamente o dia a dia do pet. É comum que aconteçam mudanças na personalidade, falta de apetite, problemas com agressividade e ansiedade, etc. Na ocorrência de uma dessas situações, procure imediatamente um veterinário para ajudar seu amiguinho.